Os vinhos do Novo Mundo, provenientes dos países dos continentes americano, africano, australiano e neozelandês têm como palavra de ordem a liberdade.

Os produtores desses continentes são livres não só para escolherem a cepa ou as cepas das uvas que serão cultivadas, as características do vinho que será produzido, a graduação alcoólica e o nível residual de açúcar no vinho etc, como também são livres na escolha dos métodos de plantio e de produção, permitindo-se a utilização de tecnologia de ponta para produção de “vinhos de precisão”.

O emprego de alta tecnologia na vitivinicultura no Novo Mundo pode incluir inclusive métodos que promovam alterações e até mesmo correções das características originais do solo, e que possam afetar diretamente as uvas, obtendo-se um ambiente controlado no cultivo das vinhas para obtenção do vinho pretendido como produto final.Os produtores do Novo Mundo valorizam o nome da uva em seus rótulos, e atribuem todos os méritos do seu vinho ao vitivinicultor/enólogo/produtor.

Não dependem nem estão vinculados às características do terroir, às condições climáticas ou às características do vinho da região, como fazem os produtores tradicionais do Velho Mundo.

Os nomes e os rótulos dos vinhos do Novo Mundo também não estão subordinados a regulamentações específicas, nem por tipos de vinhos e nem por regiões, podendo conter o uso indiscriminado e sem qualquer correspondência das expressões “superior”, clássico”, “reserva”, “reserva especial” apenas por estratégia de marketing, sem que essas expressões signifiquem, contudo, que o vinho seja de melhor qualidade ou superior.

Em sua grande maioria, os países do Novo Mundo produzem vinhos mais frutados, simples, mais comerciais e fáceis de beber, para consumo imediato, com preços bem mais acessíveis também, e visam principalmente o novo mercado consumidor de vinho, que vem crescendo em ritmo galopante mundo afora.

Na sequência, fiz o post Vinhos do Velho Mundo x Vinhos do Novo Mundo no qual são abordadas as diferenças entre os vinhos do Velho Mundo e do Novo Mundo.

Anúncios