O porquê da existência da reentrância ou concavidade (o “punt”) na base das das primeiras garrafas de vidro produzidas artesanalmente antes da produção em série a partir da Revolução Industrial já foi comentada no post A História das garrafas de vinho (clique para acessar).

Tal concavidade foi preservada na maioria dos modelos ao longo dos anos, tanto por questões de apego à tradição quanto por favorecer o equilíbrio da garrafa em pé, facilitar o empilhamento da garrafa deitada, e auxiliar na distribuição da pressão dos vinhos espumantes.

Hoje essa concavidade ganha outra importante função, e de grande utilidade, relacionada aos vinhos de guarda envelhecidos, e que consiste em permitir que os sedimentos (a borra do vinho) fiquem depositados no anel no entorno da garrafa, separada do restante da bebida, auxiliando na separação da parte sólida da parte líquida do vinho na decantação.

E não, a reentrância no fundo da garrafa não está ali para o garçom encaixar o dedo e ter mais firmeza na hora de servir o vinho! Pode até ajudar nesse sentido, mas não foi concebida e nem mantida em razão disso.

E era isso… Acho que lembrei de falar de tudo nesta série de 5 artigos sobre as garrafas de vinho. Para ler o restante da série, clique nos links abaixo:

A História das garrafas de vinho

Os variados tamanhos das garrafas de vinho

Entendendo os diversos formatos das garrafas de vinho

Conhecendo as diferentes cores das garrafas de vinho

Espero que tenham gostado, que estes artigos possam ser bastante úteis e os ajudem a reconhecer o seu estilo preferido de vinho só pela análise da garrafa.

Anúncios