VINHO DE MESA brasileiro se diferencia do Table Wine nos EUA, do Vin de Table na França, do Vin di Tavola na Itália etc. por um único e importantíssimo detalhe: o Vinho de Mesa brasileiro engloba tanto os vinhos feitos de uvas viníferas quanto aqueles produzidos de uvas não viníferas, também chamadas de uvas americanas ou uvas de mesa.

Enquanto no resto do mundo o vinho, por definição, é a bebida obtida exclusivamente a partir da fermentação alcoólica do mosto de uvas viníferas, no Brasil o vinho é a bebida obtida a partir da fermentação alcoólica do mosto simples de uva sã (que pode ser vinífera ou não vinífera, também chamada de uva americana ou uva de mesa), fresca e madura:

uva-vinifera-x-uva-americana
Fonte: www.falandoemvinhos.wordpress.com

Estes últimos ão os famosos vinhos de garrafões, bem mais rústicos e simples que os vinhos produzidos a partir de uvas viníferas, facilmente encontrados em todo o país, especialmente nas Regiões Sul, Sudeste e Centro-oeste.

vinho-de-garrafao-collage-ii

Grande diferença!

Para distinguir um tipo de vinho (de uvas viníferas) do outro (de uvas não viníferas), convencionou-se que os primeiros são considerados vinhos finos, feitos de uvas finas, e o rótulo necessariamente conterá a palavra FINO: “vinho tinto seco fino”, “vinho rosado seco fino”, “vinho branco fino seco” etc.

O rótulo também pode conter a expressão “de mesa”: “vinho tinto fino de mesa” , “vinho tinto de mesa seco fino” ou “vinho de mesa tinto fino” etc. porque antes de mais nada o vinho fino também é um vinho de mesa de acordo com a legislação brasileira.

Essa definição pode constar inclusive nos contra-rótulos dos vinhos importados, para adequação do produto à nossa legislação.

Contudo os vinhos produzidos com uvas não viníferas ou uvas americanas são identificados a partir da AUSÊNCIA da palavra FINO no rótulo, utilizando-se apenas a expressão “DE MESA”: “vinho tinto seco de mesa”, “vinho tinto de mesa suave”, “vinho rosado suave de mesa”, “vinho branco de mesa suave” etc.

Estes são comumente apresentados nas versões seco (se contiver até quatro gramas de glicose por litro) e suave ou doce (se contiver mas de vinte e cinco gramas de glicose por litro).

São os famosos vinhos de garrafões, bem mais rústicos e simples que os vinhos produzidos a partir de uvas viníferas, facilmente encontrados em todo o país, especialmente nas Regiões Sul, Sudeste e Centro-oeste.

Para mais detalhes leia o artigo O VINHO FINO E O VINHO DE MESA NO BRASIL.

Não vale, portanto, confundir o vinho de mesa nacional, e que pode ser produzido a partir de uvas não viníferas ou americanas, com o vinho de mesa encontrado no restante do mundo.

Complicado, né? Mas acho que se fosse fácil não seria tão interessante…

Anúncios