Marsala é um vinho que pode ser seco ou doce, produzido na região em torno da cidade italiana de Marsala, na Sicília, e recebeu o status de Denominazione di Origine Controllata (DOC) em 1969.

Fonte: On The World Map

Enquanto os locais se beneficiam consumindo o Marsala Vintage, o vinho produzido para exportação é fortificado (recebe adição de conhaque ou aguardente vínica depois da fermentação), tal qual os mundialmente conhecidos vinhos Porto, Jerez (Xerez ou Cherry) e Madeira, podendo conter álcool de 15% a 20% em volume. 

Diferentes vinhos Marsala são classificados de acordo com sua cor, doçura e a duração do seu envelhecimento:

De acordo com a cor:

  • Oro (ouro) tem uma cor dourada;
  • Ambra (âmbar) tem uma cor âmbar, e essa coloração vem do edulcorante “Mosto cotto” adicionado ao vinho;
  • Rubino tem uma cor rubi.

De acordo com a doçura:

  • seco: com um máximo de 40 gramas de açúcar residual por litro;
  • semi seco: de 41 até 100 gramas de açúcar residual por litro; e 
  • doce: mais de 100 gramas de açúcar residual por litro.

De acordo com o tempo de envelhecimento:

  • Fina: tem envelhecimento mínimo, tipicamente de menos de um ano.
  • Superiore: envelhecido por pelo menos dois anos.
  • Superiore Riserva: envelhecido por pelo menos quatro anos.
  • Vergine e/o Soleras: envelhecido por pelo menos cinco anos.
  • Vergine e/o Soleras Stravecchio e Vergine e/o Riserva Soleras: vinho preciosos, são envelhecidos por pelo menos dez anos.

Marsala é produzido usando as variedades de uvas brancas Grillo, Catarratto, Inzolia e Damaschino para o Marsala Oro (ouro) e Ambra (âmbar), e as uvas tintas Pignatello, Calabrese, Nerello Mascalese e Nero d’Avola para o Marcala Rubino (rubi).

Os sabores mais comuns dos vinhos Marsala são damasco, baunilha, tamarindo, açúcar mascavo e fumo.

Fonte: Wine Folly

Se tiver a oportunidade de experimentar Marsala de alta qualidade, vai se surpreender com uma maior gama de aromas e sabores como cereja tipo morello (não encontrada no Brasil), maçã, frutas secas, mel, tabaco, noz e alcaçuz.

Harmonização

O vinho Marsala era tradicionalmente servido como aperitivo entre o primeiro e segundo pratos de uma refeição. Atualmente, as versões mais secas do Marsala são servidas a uma temperatura fresca com queijo parmesão (Stravecchio), Gorgonzola, Roquefort, e outros queijos picantes, com frutas ou doces. E as versões mais doce são servidas à temperatura ambiente como um vinho de sobremesa. 

E atenção, agora que você já conhece o Marsala, não vale confundir o com um outro vinho de sobremesa da Sicília, o “Passito di Pantelleria”, vinho doce de uvas passificadas da Ilha de Pantelleria.

Anúncios