Estamos acostumados a ouvir e a concordar por aqui que os franceses, italianos e espanhois na Europa, e os chilenos e argentinos na América do Sul, são grandes produtores e consumidores de vinho no mundo.

O que não sabemos, é o quanto a produção e o consumo desses países de forte tradição na VITIVINICULTURA[1] representam no cenário mundial.

E desconhecemos também a relevância de países produtores e grande consumidores de vinho que estão fora desse circuito, a exemplo dos Estados Unidos da América, Austrália, Nova Zelândia e África do Sul.

Pois bem!

Fiz algumas pesquisas, e vamos aos gráficos e números:Antes de falarmos da produção de vinho especificamente, falemos do cultivo das UVAS VINÍFERAS[2] utilizadas na produção dessa bebida.No ano de 2015 foram cultivadas nada mais nada menos que 222.000 toneladas de uvas viníferas no mundo todo.

Dentre as uvas tintas destacam-se o cultivo de 47.400 toneladas da uva Cabernet Sauvignon e 35.200 toneladas da uva Merlot.E dentre as uvas brancas destacam-se a produção de 44.100 toneladas da uva Riesling (essa eu não sabia…) e 42.000 toneladas da uva Chardonnay:

Fonte: Wine Business

É muita uva vinífera!

Não entrou nessa conta o cultivo de uvas não viníferas, também chamadas de uvas americanas ou uvas de mesa, cultivadas e destinadas para o nosso consumo como fruta e suco de uva.

Indo agora ao que interessa:

Quanto à produção de vinho, estima-se que no ano de 2015 tenha sido produzido cerca de 275.7 Mhl (275.7 milhões de hectolitros, e que corresponde a 275.700.000.000 de litros) de vinho como produto final, em seus variados tipos (vinhos tintos, brancos, rosés, espumantes, frisantes e fortificados).

Untitled
Fonte: The Drinks Business

É muito vinho!De acordo com as estatísticas do ano de 2012, os países da Europa (países do Velho Mundo) responderam por 66,5% de todo o vinho produzido no Globo.

Já os países da América do Norte (Estados Unidos, México e Canadá) produziram 19%, e os países da Ásia, da Oceania e da África produziram cerca de 5% cada (países do Novo Mundo).

A produção de vinho na América do Sul não foi levada em consideração naquela pesquisa:

producao-mundia-de-vinho
Fonte: Opera Wine

Falando agora em produção de vinhos por países, dados estimados recentes, do ano de 2015 revelam que os três países mencionados no comecinho do texto lideram com folga o ranking da produção mundial de vinho, aparecendo a Itália na primeira posição, seguida da França, da Espanha e dos Estados Unidos (quem diria?), que vem na quarta posição:

world-wine-production-2015
Fonte: Italian Wine Central

O “International Organization of Vine and Wine (OIV)” estima que em 2015 a produção de vinho na Itália teria sido de 48.9 Mhl, ultrapassando a produção da França, que teria sido de 47.4 Mhl.Olha só os italianos comemorando essa grande conquista:

Com isso a Itália retorna ao topo do ranking como o maior país produtor mundial de vinho, posição esta que no ano anterior, em 2014, foi ocupado pela França, que respondeu pela produção de 46.6 Mhl de vinho, seguida então da Itália como 44.7 Mhl, da Espanha com 41.6 Mhl, dos Estados Unidos da América com 22.3 Mhl e da Argentina, na quinta posição, com 15.1 Mhl:

Dados de 2014 divulgados pela Statista Charts, sem acesso gratuito pela internet.

Esses dados são confirmados por esta outra estatística, também da “International Organization of Vine and Wine (OIV)” e relativa ao ano de 2014, onde aparece a França como a maior produtora mundial de vinho, com 46 Mhl, vindo em segundo lugar a Itália, com 44.4 Mhl.A Argentina aparece novamente na quinta posição, com 15.2 Mhl de vinho produzido, enquanto o Chile aparece na nona posição, com 10 Mhl:

 O.I.V.2014 2014 wine production in the 10 main producing countries Wine production
Fonte: Slide Share

Nada mau, Hermanos!

Indo mais além na nossa pesquisa, no ano de 2012 a França também era o país número um em se tratando de produção de vinho em escala mundial, seguida da Itália, da Espanha e dos Estados Unidos da América (até aqui, tudo igual a 2014), aparecendo então a China na quinta posição, seguida de perto pela Austrália.

A nossa vizinha Argentina havia ficado de fora do rol dos 6 maiores produtores mundiais de vinho naquele ano:

Fonte: BKWine Magazine

E nesse outro gráfico do ano de 2012, a nossa vizinha Argentina aparece na oitava posição no ranking:

Fonte: BKWine Magazine

Enfim, todos os dados coletados apontam, efetivamente, para a França, Itália e Espanha como os maiores países produtores de vinho em escala mundial.

Mas o cenário não é engessado, e nos diferentes anos os países se alternam produzindo muito mais ou muito menos vinho que nos anos anteriores, ou produzindo mais ou menos em relação aos demais países.

E encerrando o tópico sobre produção e a título de curiosidade, dados de 2014 (não achei nada mais recente, infelizmente) demonstram que de todo o vinho produzido no mundo, 47% da produção é de vinhos tintos; 32% da produção é de vinhos brancos; 8% da produção é de vinhos rosés; 7% é de vinhos espumantes; 0,15% é de conhaque; e apenas 0,01% é de vinhos fortificados e de sobremesa (vinho do Porto, Jerez, Madeira, Vin Santo, Sauternes, Late Haverst, Ice Wines etc).

global-wine-production-volume-by-colour-and-type
Fonte: NZ Wine Technology 

Já era mesmo de se esperar que a maior parte da produção de vinhos em escala mundial fosse mesmo de vinhos tintos, seguida de vinhos brancos, rosés e espumantes, pois é o que de fato mais se consume em todo o mundo, à exceção dos alemães, maiores produtores e apreciadores de vinhos brancos.

São muitos números, muitos gráficos e muita informação, não é mesmo?Eu também acho! E por isso mesmo resolvi registrar essa compilação de dados aqui, e compartilhar com vocês.

[1] VITINICULTURA: atividade que envolve o cultivo das vinhas e o fabrico de vinho e exploração econômica de tais atividades.

[2] UVAS VINÍFERAS: Vitis vinifera é a espécie de videita (Vitis sp.) cultivada para a produção do vinho. Originária da Região do Mediterrâneo até o sul da Alemanha, a Vitis vinifera é cultivada em todas as regiões de clima temperado, fazendo da produção de vinho uma das atividades mais antigas da civilização, desde o período neolítico.

Anúncios