Tempranillo é uma das uvas tintas viníferas mais conhecidas da Península Ibérica.

Originária do norte da Espanha, provavelmente das regiões de Rioja e Navarra, é bastante cultivada também em Portugal, e é conhecida por vários nomes:

  • Tempranilla, Tempranillo em Extremadura, Rioja (Espanha);
  • Tinta del País em Castilla Y León (Espanha);
  • Tinto Fino em Ribeira del Duero (Espanha);
  • Aragón, Aragones ou Aragonez no Alentejo (Portugal);
  • Tinta Roriz no Douro (Portugal);
  • Cencibel em La Mancha (Espanha);
  • Ull de Llebre em Penédes, Catalunha (Espanha);
  • Valdepeñas no Vale Central, Calif´rnia (EUA); e
  • Tempranilla na Argentina.

Além de ser o berço provável da Tempranillo, Rioja foi a primeira região vinícola a introduzir os vinhos espanhóis no restante do mundo, e atualmente possui a maior produção do país, com cerca de 350 milhões de quilos de uvas e quase 200 milhões de litros de vinho, sendo que cerca de 70% da área cultiva nessa região é de Tempranillo.

Essa uva também ganhou espaço na região Ribera Del Duero, um pouco mais a sudeste de Rioja, onde é chamada de Tinta del País e começou a ser plantada muito recentemente, na década de 80, respondendo hoje por 60% da área cultivada.

A uva espanhola leva o nome Tempranillo como referência à palavra espanhola temprano (cedo em Português), porque à época do seu surgimento, meados do Século XIII, percebeu-se que ela amadurecia mais cedo do que as outras uvas plantadas na região (amadurecia, por exemplo, cerca de 02 semanas antes da uva espanhola Garnacha), o que é uma das suas grandes vantagens.

É uma casta facilmente adaptável a diferentes tipos de solo e clima, e por isso mesmo o seu cultivo tem se expandido significativamente para outras regiões como o Dão e Alentejo (Portugal), onde se adaptou particularmente bem, mas também para regiões como o Ribatejo (Portugal) e Extremadura (Espanha).

Em climas frios (ou frescos, com temperatura igual ou inferior a 16,5°C na temporada de crescimento) apresenta alta acidez e produz vinhos elegantes. E em climas quentes (com temperatura igual ou superior a 21°C na temporada de crescimento) apresenta níveis elevados de açúcar e produzi vinhos mais alcoólicos e com cor mais intensa.

Como características básicas, apresenta cachos compactos de tamanho médio a grande, bagos pequenos de pele espessa, e tem rendimento médio a elevado, e em sendo elevado o rendimento, apresenta menos cor e menos intensidade de fruta.

Mostra o seu melhor quando acrescentada a outras variedades, sendo a maior constituinte dos melhores vinhos de Rioja e de Ribera del Duero (Espanha).

Visual: apresenta coloração vermelho rubi de média a profunda intensidade:

tempranillo-collor
Fonte: Wine Folly
tempranillo-body-e-collor
Fonte: Wine Folly

Os aromas do vinho varietal de Tempranillo variam muito, de acordo com o clima em que a uva é cultivada, e pode-se encontrar de quase tudo em uma taça desse vinho:

tempranillo-aromas
Fonte: Pinterest

Em boca: Uma boa acidez e muito encorpado, sem ser pesado. Possui taninos aveludados e um sabor incrível de frutas vermelhas, a morangos.

Harmonização: nas regiões de Rioja e Navarra harmoniza bem com frango, vitela, cogumelos, queijo Roncal; na região de Ribera del Duero harmoniza com caças, presuntos defumados, chorizos condimentados, cordeiro, queijo Tronchon; em Toto vai bem com porco, vitela e aves de caça. E pelo mundo afora, combina com carnes vermelhas defumadas ou grelhadas, queijos maduros tipo Brie, massas e pratos da cozinha mexicana e cozinha indiana.

Anúncios