O Pêra-Manca é produzido por Cartuxa Fundação Eugénio de Almeida, e é  um dos vinhos portugueses mais prestigiados do mundo.

Os vinhos tintos são produzidos a partir das castas Trincadeira e Aragonez. São vinhos encorpados, complexos e elegantes, com aroma de frutas negras e ricos aromas do estágio em barris de carvalho. Devido à alta qualidade dos taninos e das madeiras utilizadas no estágio, são vinhos que apresentam grande longevidade, necessitando de algum tempo para revelar todo o seu potencial.

Desde o seu lançamento em 1990 foram produzidas apenas 13 safras de Pêra-Manca tinto: 1990, 1991, 1994, 1995, 1997, 1998, 2001, 2003, 2005, 2007, 2008, 2010 e 2011.

A safra 2011, considerada a melhor safra portuguesa do Século, finalmente chegou ao Brasil, e eu tive o privilégio de poder provar essa que é uma das 10 maravilhas do mundo do vinho:

Simplesmente delicioso, potente e elegante, arrojado e sofisticado, tudo ao mesmo tempo! Uma explosão de aromas e de sabores em boca. Muitas frutas negras, especiarias, tabaco. Tinha de tudo naquela taça. menos monotonia!

pera-manca-ii

Dados recentes do Wine Searcher indicam que este vinho está sendo vendido mundo afora pelo preço médio de USD 529, fora taxas! Ouro líquido!

Há quem diga que o Pêra-Manca é super valorizado, coisa e tal, mas eu, pouco experiente e recém iniciada no mundo do vinho, gostaria muito de pedir a esses grandes críticos que me deixassem provar, então, os vinhos que superaram o Pêra-Manca.

Ainda quero provar o português Barca Velha, os franceses Romanée-Conti Montrachet Grand Cru, o Petrus… Vai que eu consigo provar uma tacinha aqui e outra acolá? Sonhar é bom e (ainda) não custa nada 🙂

E PARA EVITAR FALSIFICAÇÕES

… o Pêra-Manca agora tem selo de segurança desenvolvido pela Casa da Moeda que garante a autenticidade do vinho.

Alvo de falsificações constantes, neste ano de 2016 a ASAE – Autoridade de Segurança Alimentar e Econômica de Portugal –  apreendeu 1700 garrafas de vinho Pêra-Manca tinto da colheita de 2010 com rótulos, contra-rótulos e cápsulas contrafeitas.

E não foi a primeira vez: em 2013 uma investigação da ASAE levou à apreensão de garrafas falsas de Pêra-Manca tinto no freeshop do Aeroporto de Lisboa. Esta operação foi denominada pela ASAE de ‘Operação Premium’ e foi concluída em janeiro de 2015 por não haviam sido encontrados mais vinhos falsificados.

Como funciona? Adquirida a garrafa, o consumidor deve acessar o site do produtor Cartuxa  e fazer o seguinte:

  1. Introduzir o código presente no selo de autenticidade;
  2. Introduzir os dados do consumidor (nome, e-mail e país), carregar em validar e automaticamente será autenticado pelo sistema;
  3. Fazer o download da ficha técnica do vinho Pêra-Manca tinto 2011, a última safra do Pêra-Manca tinto e a primeira a ter este sistema inovador de autenticidade, onde aparecerá a identificação do seu código de autenticidade, e que corresponde ao número que está no selo.

Anúncios